04/09/2017 às 07:16, Atualizado em 04/09/2017 às 12:19

Takahashi prestigia inauguração do Oratório do Menino Jesus de Praga

Cb image default
Takahashi disse que Batayporã vive momento histórico com inauguração do Oratório

O prefeito Jorge Takahashi, acompanhado da primeira-dama Cléia Valéria, participou no último sábado (2) da inauguração do Oratório do Menino Jesus de Praga.

O ato foi marcado por uma celebração na Igreja Matriz, seguida de procissão até o Oratório e missa campal com entronização da imagem do Menino Jesus de Praga. A missa foi celebrada pelo Bispo Dom Etorre Dotti e contou com as presenças dos padres Nello Vanzo e Everton Santos, do reverendo Romualdo Stefan Rob, representante da Arquidiocese de Praga; Padre Aldo Raimond, da Paróquia de Ponta Porã e Padre Sanderson, da Paróquia Menino Jesus de Praga de Presidente Prudente/SP.

Além das autoridades religiosas, reforçaram a solenidade o embaixador da República Tcheca, Jiri Havlik que esteve acompanhado da embaixatriz, Hanna Havlicova; o representante do Consulado Geral da República Tcheca em São Paulo, Jan Havrlik; a coordenadora política do Governo do Estado na região, Dione Hashioka; o vice-prefeito Luis Fernando Bomfim, o Cônsul Honorário da República Tcheca em Mato Grosso do Sul, Evandro Amaral Trachta e Silva, o vereador Germino Roz, dentre outras personalidades da região.

Cb image default
Bispo Dom Etorri Dotti presidiu a missa campal.  Fotos: Thiago Odeque/7ª Arte

Ao discursar, o prefeito Jorge Takahashi disse que o momento era de pura emoção. “Batayporã vive um momento histórico com a inauguração do Oratório do Menino Jesus de Praga, que passa a ser mais um espaço de oração e fé a toda população. É com grande alegria e emoção que participamos desse momento”, salientou.

Takahashi aproveitou a ocasião para parabenizar a família Trachta, que trabalhou incansavelmente para que o Oratório deixasse de ser um projeto e se tornasse realidade.

A construção do oratório foi viabilizada através do auxílio do Ministério das Relações Exteriores Tcheca, de doações voluntárias de recursos por membros da comunidade e sócios do Centro de Memória Jindrich Trachta, bem como da própria família Trachta.