27/01/2017 às 09:35, Atualizado em 17/05/2017 às 09:37

Prefeitura apresenta proposta para que Sociedade Hospitalar São Lucas não seja extinta

Prefeito reuniu-se com diretoria da associação e vereadores para buscar uma solução para o impasse

Cb image default
Takahashi afirma que serviço da Sociedade Hospitalar São Lucas é vital para a população

Como prioridade na gestão de Jorge Takahashi, a área da Saúde no município tem recebido atenção especial para que os problemas sejam sanados e a população possa voltar a ter os serviços disponíveis.

Nesta sexta-feira (27), o Chefe do Executivo reuniu-se com a diretoria da Sociedade Hospitalar São Lucas para definir o destino do hospital, que ameaça ser extinto por falta de recursos suficientes para operacionalização.

O encontro contou com a presença da secretária Municipal de Saúde, Marcela Leite; do vice-prefeito Luis Fernando, vereadores e do assessor de Gestão, Wilson Fernandes Sena Jr.

Na oportunidade, a diretoria expôs a situação financeira crítica da unidade hospitalar, apresentando um relatório das despesas e receitas.

A titular da Secretaria de Saúde apresentou alternativas para que a associação filantrópica não seja extinta, afirmando que a Prefeitura assumiria o compromisso de quitar os plantões presenciais, as cirurgias eletivas e as transferências de pacientes para referências hospitalares. Desta forma, o Município arcaria com R$ 70 mil.

A proposta não foi aceita pelos administradores da associação, que pedem um repasse mensal do Município de mais de R$ 158 mil para manter o pagamento pessoal e encargos sociais, plantão médico, ortopedista e laboratório.

“Em outras gestões, o convênio mensal que a Prefeitura mantinha com a entidade era de 128.536,00 e, hoje a diretoria está solicitando R$ 30 mil a mais para manter o hospital aberto. Infelizmente não temos condições no momento”, explicou Marcela.

De acordo com os diretores, o valor de convênio proposto não seria suficiente para cobrir as despesas, que vai desde a aquisição de medicamentos e material cirúrgico à manutenção dos equipamentos e da estrutura física do prédio.

O Prefeito afirmou que atualmente o Município não tem recursos suficientes para repassar à entidade. “Há uma preocupação grande com essa situação, mas no momento não podemos atender a sociedade hospitalar com esse valor, pois estamos enfrentando dificuldades financeiras nesse início de gestão. Estamos nos empenhando ao máximo para que esse impasse seja solucionado o quanto antes porque não queremos que a associação seja extinta”, esclareceu.

No encontro ficou determinado que uma comissão será formada por representantes do Executivo e da associação hospitalar no sentido de verificar com Nelson Tavares, secretário Estadual de Saúde, a possibilidade de o Estado aumentar o repasse para a manutenção geral do hospital, que mantinha contrato no valor de R$ 28.246,00.

Fora o convênio com a Prefeitura e o contrato com o Estado, a Sociedade Hospitalar São Lucas recebia verba de R$ 37.430,00 da União.

Ao finalizar o encontro, Takahashi frisou que a intenção é garantir saúde de qualidade a todos. “Convocamos essa reunião com o objetivo de buscar caminhos para a reativação do Hospital São Lucas, pois queremos que os munícipes tenham atendimento de qualidade, pois o serviço é vital para a população”, ressaltou o Prefeito.