17/11/2021 às 10:10, Atualizado em 17/11/2021 às 10:17

Servidores intensificam capacitação em Segurança do Trabalho

Cb image default
Formação também contou com atividades em campo. Foto: Prefeitura de Batayporã

A Prefeitura de Batayporã realizou recentemente dois cursos de capacitação com foco na promoção da saúde e segurança dos trabalhadores da Secretaria Municipal de Obras, Desenvolvimento Econômico, Turismo e Meio Ambiente. A iniciativa contou com a parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e foi articulada pelo Departamento de Recursos Humanos do Executivo.

Os cursos foram organizados pela engenheira do trabalho do município, Gleice Piovesan, juntamente com o coordenador da Defesa Civil, Gilberto Batista dos Santos, com o apoio do Sindicato Rural de Batayporã.

“Os servidores que participaram da ação foram indicados pelo secretário da pasta. Nossa preocupação é reforçar que a segurança e a eficiência são fundamentais para o trabalho. Essa é uma missão do município”, explicou a engenheira.

A primeira capacitação abordou o tema Prevenção e Combate a Incêndios nas Áreas Rurais, e com duração de 16 horas. “A ocorrência de pequenos focos de incêndio nas áreas rurais, terrenos vazios e na área de depósito de lixo orgânico do município é maior nos meses mais secos do ano devido à baixa umidade do ar e geadas. É importante empregar as técnicas adequadas para a contenção do foco de incêndio antes que o mesmo tome grandes proporções, complementou Gleice.

Cb image default
Orientações para o trabalho em altura visaram NR 35. Foto: Prefeitura de Batayporã.

Já o segundo curso tratou de Capacitação para Trabalho em Altura, com orientações para a realização de trabalhos acima de dois metros de altura. A Norma Regulamentadora n. 35, do Ministério do Trabalho, estabelece princípios seguros para atividades como poda de árvores, iluminação pública e serviços de manutenção predial. “Por isso priorizamos alguns servidores lotados nos cargos de eletricista, serviços gerais e pedreiro. A capacitação também foi de 16 horas com conteúdos teóricos e práticos”, pontuou.

Os trabalhadores receberam instruções sobre técnicas de análise dos riscos envolvidos no desempenho dessas atividades, interpretação das condições impeditivas de sua realização, e uso do equipamento de proteção individual (EPI) para trabalho em altura.