05/11/2022 às 19:05, Atualizado em 05/11/2022 às 19:09

Prefeitura constrói duas moradias e leva segurança a famílias que estavam em habitação precária

Prefeito Germino Roz afirmou que o Executivo tem mais dois processos em andamento para contemplar moradores em vulnerabilidade com novas residências

Cb image default
Chave na mão: representantes conferiram resultado da obra e entregaram as chaves da residência aos moradores. Foto: Maicon Araújo.

A Prefeitura de Batayporã entregou neste sábado (5) duas unidades habitacionais às famílias que viviam em situação de vulnerabilidade, na Vila Maria Gonçalves. As novas residências foram construídas e entregues sem custos aos moradores por meio do Projeto de Substituição de Moradia Precária, executado pelo município em parceria com a Agência de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (Agehab). O investimento nas duas construções soma cerca de R$ 173 mil.

Conforme explicou a coordenadora do setor de Habitação da Prefeitura, Franciele Farias Duarte, os custos da substituição são divididos entre o Estado e o município. “O processo considera algumas etapas, como o mapeamento da Assistência Social, e uma vistoria técnica. A partir do momento em que se verifica a necessidade da família, o projeto é submetido à Agehab e executado pela Prefeitura, que investe metade do valor”, detalhou a gestora.

No caso de ambas as famílias, as antigas habitações apresentavam risco iminente de desmoronamento devido às rachaduras, além da exposição ao frio, chuva ou calor excessivo, dentre outros problemas de infraestrutura. O prefeito Germino Roz destacou que pretende ampliar o número de atendimentos. “Infelizmente, temos mais famílias em situação semelhante. Já estamos com os processos em andamento e logo teremos mais duas moradias construídas”, contou.

Cb image default
Para dona Ana Matos da Silva, nova residência traz tranquilidade para abrigar filha e netos. Foto: Maicon Araújo.

O representante regional do Governo do Estado, Márcio Andrade, ressaltou o trabalho de colaboração entre a Agehab e o Executivo local. “É uma parceria de um governo municipalista, que investe para que a Prefeitura possa beneficiar a população. A emoção em momentos como esse nos dá ânimo para a caminhada”, avaliou.

Um direito assegurado

A Constituição Federal de 1988 garante o direito à moradia em seu artigo 6º. A Lei afirma ainda que cabe à União, aos Estados e municípios “promover programas de construção de moradias e a melhoria das condições habitacionais e de saneamento básico”. “É por isso que precisamos lembrar que não estamos fazendo favor para ninguém. Isso é um direito de vocês e a parceria da Prefeitura com o Estado e o apoio do Legislativo visa auxiliar esse processo”, afirmou o prefeito no momento de entregar as chaves aos moradores.

As novas moradias contam com dois quartos, sala, cozinha e banheiro. Pias, torneiras, chuveiro elétrico e tanque já estão instalados nas residências. Parte dos terrenos também foi adequada com pedra brita para evitar o acúmulo de lama. A Prefeitura de Batayporã acrescentou às obras a instalação de piso e forro pvc, que não constavam no projeto original. 

Cb image default
As novas moradias contam com dois quartos, sala, cozinha e banheiro. Pias, torneiras, chuveiro elétrico e tanque também já estão instalados nas residências. Foto: Maicon Araújo.

Para Ana de Matos da Silva, de 69 anos, a obra significa mais dignidade para a família. A dona de casa, que atualmente é responsável por quatro netos e uma filha, se emocionou ao receber a nova moradia. “Faz mais de 40 anos que eu moro aqui e ninguém nunca tinha olhado para mim. Eu coloquei meu joelho no chão, pedi a Deus uma casa e hoje eu estou recebendo. Então, eu só posso agradecer. Agora ninguém mais vai sofrer. Minha filha e meus netos vão poder dormir tranquilos”, contou a moradora.

O casal Darlene Ricarte Pereira e Roneis Valêncio Machado, de 57 e 46 anos, respectivamente, também avaliou a ação. “A casa estava toda rachada e eu tinha medo de o teto cair sobre a nossa cabeça”, descreveu Darlene, que trabalha como diarista. “Se fosse para a gente construir ou reformar, eu acho que a gente nunca ia ter condições. Agora, eu vou passar minha velhice aqui, graças a Deus”, disse. “A gente fica sem palavras, porque receber uma casa assim, pronta, é uma benção muito grande”, complementou Roneis.