20/12/2022 às 09:18, Atualizado em 20/12/2022 às 09:22

Prefeitura de Batayporã passa a contar com triturador de galhos para otimizar limpeza pública

Máquina tem capacidade para triturar galhos de até 30 cm de diâmetro; medida também busca conter queimas constantes e traz série de benefícios ambientais

Cb image default
Após alinhar dinâmica de trabalho, Prefeitura deixará maquinário à disposição da população. Foto: Maicon Araújo.
Cb image default
Foto: Maicon Araújo.

A Prefeitura de Batayporã realizou na última segunda-feira (19) o primeiro teste da nova máquina de triturar galhos adquirida recentemente pelo município. Potente, o maquinário tem capacidade para triturar madeira com até 30 cm de diâmetro. O material gerado após o processo é convertido em adubo orgânico. O objetivo do Executivo é evitar o descarte irregular das galhadas e as queimas, que são um problema recorrente.

Sob regime de locação, com assessoria técnica e manutenção, o investimento na máquina é de R$ 250 mil para o período de um ano. O triturador de galhos ficará à disposição da população em local adequado e será operacionalizado pelos servidores capacitados. Para garantir a segurança, a dinâmica de uso está sendo ajustada pela Prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Obras, Desenvolvimento Econômico, Turismo e Meio Ambiente (Sodeta).

Cb image default
Material triturado é convertido em rico adubo orgânico. Foto: Maicon Araújo.
Cb image default
Triturador processa galhos com até 30 cm de diâmetro.
Cb image default
Prefeito Germino Roz, vice-prefeito Cacildo Paião, vereadores João Paulo e Henrique Bacatão acompanharam teste da máquina. Foto: Maicon Araújo.

“Essa máquina foi muito cobrada pela população e pelos vereadores. O descarte de galhos e folhagens depois das podas era um transtorno porque muitas pessoas acabavam colocando fogo nos galhos. Essa era uma questão ambiental muito séria devido ao risco de grandes incêndios, que não apenas poluem, mas colocam a saúde e até mesmo a vida das pessoas em risco”, descreveu o prefeito Germino Roz.

Por meio de compostagem, os resíduos de madeira e folhagens se tornam um rico adubo orgânico. A ideia é disponibilizar o material aos agricultores familiares. Além do adubo, a redução de cerca de 80% do volume das galhadas é outro benefício ambiental, já que o material triturado evita a liberação de gases de efeito estufa na atmosfera e demanda uma logística muito mais simples e ágil. O processo ainda acarreta na economia de recursos públicos.