23/11/2017 às 12:48, Atualizado em 23/11/2017 às 14:13

Takahashi reforça mobilização dos Prefeitos em Brasília

Movimento objetivou chamar a atenção das autoridades ao colapso das finanças locais

Cb image default
Mobilização reuniu mais de dois mil gestores municipais de todo o país

O prefeito de Batayporã, Jorge Takahashi, participou nesta quarta-feira (22) da mobilização “Não deixem os Municípios afundarem”, criada para chamar a atenção das autoridades ao colapso das finanças locais. Organizado pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), o movimento aconteceu em Brasília e reuniu mais de dois mil gestores municipais de todo o país.

Durante todo o dia, os prefeitos e vice-prefeitos participaram de uma série de reuniões e debates com lideranças políticas na busca de recursos para investir nos municípios e mais avanços para que esta crise financeira não deixe sequelas na economia.

Entre as pautas prioritárias do movimento incluiu a edição de Medida Provisória para Apoio Financeiro aos Municípios (AFM), de forma emergencial, no valor de R$ 4 bilhões; a derrubada do veto ao Encontro de Contas; precatórios; resíduos sólidos e a atualização dos programas federais.

Takahashi avalia o movimento municipalista de forma positiva, já que o presidente Temer garantiu o repasse de R$ 2 bilhões do Auxílio Financeiro aos Municípios (AFM) até dezembro, por meio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Cb image default
Takahashi avaliou o movimento municipalista de forma positiva

“Temos sofrido com a escassez de recursos, e mesmo sendo a metade do que reivindicamos, os R$ 2 bilhões dará fôlego aos Municípios diante da crise financeira que estamos enfrentando”, observou o Prefeito.

Outra conquista dos gestores municipais foi a derrubada do veto do Encontro de Contas, que permitirá, agora, que os Municípios saibam o valor total de suas dívidas previdenciárias. O valor devido dependerá do resultado final entre créditos e débitos que os Entes municipais possuem com a União. Sendo assim, as parcelas a serem pagas sujeitam-se ao saldo final do encontro entre os débitos dos Municípios e a Previdência Social.

Cb image default
Fotos: Divulgação

Cb image default
Takahashi e o vice-prefeito de Nova Andradina, Newton Luiz de Oliveira