23/11/2022 às 12:39, Atualizado em 23/11/2022 às 12:42

Idosos do Conviver partilham vivências e encerram grupo de acolhimento com psicóloga

Cb image default
Equipe comemorou ciclo de encontros. Foto: Prefeitura de Batayporã.

Cerca de 40 idosos do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (Conviver) de Batayporã concluíram nesta semana as atividades do grupo ‘Acolhendo Saberes’, mediado pela psicóloga Mirian Teixeira, do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). O encerramento foi promovido na sede do serviço com um café da manhã especial e exposição da ‘Colcha de Retalhos’, resultado de dinâmicas com ênfase nas memórias dos participantes.

O encerramento foi acompanhado pelo vice-prefeito Cacildo Paião, pela secretária de Governo, Luciane Caldeira, coordenadora do Cras, Denise Pesqueira e pela coordenadora da Proteção Social Básica, Maria Antônia Portela e equipe do Conviver. Os encontros quinzenais também contaram com o suporte da pedagoga do Cras, Aparecida Dezanetti de Souza. 

Cb image default
Gestores destacaram trabalho de acolhimento e receptividade dos idosos. Foto: Maicon de Araújo.
Cb image default
Memórias entrelaçadas: colcha de retalhos reúne expressão das lembranças dos idosos. Foto: Maicon Araújo.

Conforme explicou a psicóloga, o objetivo do grupo é contribuir para um processo de envelhecimento ativo, saudável e autônomo, propiciando momentos de boa convivência, diálogo, compartilhamento de emoções e experiências. “Assim nós promovemos a manutenção da saúde mental e emocional e, consequentemente uma melhora da qualidade de vida”, complementou Mirian.

A metodologia de trabalho visou o acolhimento por meio da escuta empática, com rodas de conversa, dinâmicas e vídeos. Um dos destaques foi a dinâmica da ‘Colcha de Retalhos’. “Os idosos recordaram lembranças, vivências, histórias marcantes de suas vidas. Depois, eles registraram com um desenho esses momentos”, contou a psicóloga. A união de cada parte de tecido desenhada formou uma colcha extensa, exposta com orgulho pelos artesãos no salão do Conviver.

Receptividade

A adesão dos idosos à proposta foi significativa e aumentou a cada encontro. Segundo a coordenadora da Proteção Social Básica, Maria Antônia Portela, o acolhimento com psicóloga foi um avanço para o Conviver. “Há tempos nós buscávamos atividades direcionadas, que contemplassem os idosos mais de perto na área da psicologia. Agora que conseguimos essa parceria, iremos proporcionar muitos momentos importantes na promoção da saúde mental”, disse.