03/02/2023 às 12:08, Atualizado em 03/02/2023 às 13:33

Dengue: Saúde vai revisitar domicílios e aplicar multa para moradores que tiverem focos em casa

Após mapeamento feito pelos agentes comunitários, Vigilância Entomológica realizará nova vistoria em domicílios; responsáveis serão penalizados caso não tenham eliminado larvas do aedes aegypti

Cb image default
Segundo secretária, quintais de residência concentram maior parte dos focos de aedes aegypti. Foto: Arquivo Prefeitura de Batayporã

A Secretaria Municipal de Saúde de Batayporã enfatizou nesta sexta-feira (03) o apelo para que a população colabore com as ações de prevenção e combate à dengue, transmitida pelo mosquito aedes aegypti. Conforme informou a titular da pasta, Letícia Sanches, os agentes comunitários de saúde realizaram mapeamento dos domicílios com focos do mosquito. O trabalho de fiscalização será complementado pelos agentes de combate às endemias e pela Vigilância Entomológica, que irão revisitar os locais e fazer a aplicação de multa caso a situação não tenha sido revertida.

“As equipes estão retornando a esses domicílios hoje e, constatada a presença de foco, será imputada multa na hora. A dengue é um problema de saúde pública gravíssimo e nós não vamos permitir que as pessoas não se responsabilizem. O maior problema está nos quintais das casas, e não nos terrenos baldios como pensamos”, esclareceu a gestora.

No início da semana, de acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MS), Batayporã foi classificada com alta incidência da doença e lidera o ranking estadual de casos prováveis em relação ao número de habitantes.

A secretária elencou os trabalhos intensificados desde o ano passado com vistas à prevenção diante do período de chuvas, típico do verão, e que impulsiona a procriação do aedes aegypti. Em parceria com a Secretaria Municipal de Obras, Desenvolvimento Econômico, Turismo e Meio Ambiente (Sodeta), foi realizado mutirão de limpeza nos órgãos públicos e bairros da cidade no mês de novembro. A ação foi acompanhada pela Vigilância Entomológica, que se mantém notificando proprietários de imóveis onde foram identificados focos ou ambientes propícios para a proliferação do mosquito.

Cb image default
Trabalho de fiscalização e orientação é constante. Foto: Arquivo Prefeitura de Batayporã.

Também em novembro passado, o trabalho de conscientização foi reforçado com campanha educativa. Os agentes de combate às endemias promoveram panfletagem, afixaram cartazes e orientaram comerciantes e moradores sobre o perigo da doença. Já no mês de dezembro, foi reforçada a dinâmica de vistorias, com mais um mutirão de fiscalização por todo o município.

No mês de janeiro, foi iniciado o bloqueio mecânico com a pulverização de inseticida com o uso de bomba costal. As áreas com mais casos da doença são a prioridade. No mesmo mês, a Sodeta começou novo mutirão de limpeza por todo o município. O primeiro bairro a receber a ação foi a Vila Maria Gonçalves, que concentra o maior número de casos. No momento, as equipes trabalham na região do centro organizadas por quadrantes. A previsão é de que o mutirão de limpeza por toda a cidade seja concluído no início de março.

Na última terça-feira (31), houve ainda uma força-tarefa de limpeza dos bueiros. “As ações são contínuas. Nós ainda divulgamos conteúdos informativos nas rádios e na imprensa. Temos feito a fiscalização constante, com notificações e aplicação de multa após o prazo para regularização. Porém, nosso esforço não tem sido suficiente diante da negligência de muitos moradores”, esclareceu a secretária.

Outro fator que tem contribuído para a elevação do número de casos é o esforço das equipes do atendimento em Saúde para diagnosticar a doença. “Recentemente, promovemos uma reunião com a equipe médica e de enfermagem para tratarmos sobre as notificações. Nosso pessoal está atento aos sintomas e tem notificado à Vigilância em Saúde que, consequentemente, faz o registro dos casos por meio da Gerência Técnica de Doenças Endêmicas”, explicou Letícia.

Sintomas

De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), “a incidência global da dengue cresceu drasticamente nas últimas décadas. Aproximadamente metade da população mundial está em risco de contrair a doença. Infelizmente, não existe tratamento específico para dengue ou dengue grave. Porém, o diagnóstico precoce e o acesso a cuidados médicos adequados reduzem as taxas de mortalidade para abaixo de 1%”.

A dengue pode ser assintomática ou apresentar sintomas que variam de febre baixa a febre alta incapacitante, com forte dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores musculares e nas articulações e erupções cutâneas. A doença pode progredir para dengue grave, caracterizada por choque, falta de ar, sangramento intenso e/ou complicações graves nos órgãos.

Denúncias

A população pode denunciar focos do mosquito da dengue à Vigilância Entomológica da Secretaria Municipal de Saúde de Batayorã por meio dos telefones 67 3443 3187 e 99213 6498.

Cb image default
Larvas do mosquito da dengue são coletas pelos agentes de combate às endemias. Foto: Arquivo Prefeitura de Batayporã.