10/03/2021 às 09:12, Atualizado em 10/03/2021 às 09:37

Em um dia, força-tarefa fiscaliza 322 domicílios e encontra 25 focos de mosquito da dengue

Cb image default
Agentes coletam amostras e orientam população durante trabalho de fiscalização. Foto: Secretaria Municipal de Saúde

Os agentes de endemias e agentes comunitários de Saúde realizam mutirão de fiscalização para conter os focos de aedes-aegypti, o mosquito da dengue, em Batayporã. Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, somente na última terça-feira (9), 322 domicílios foram vistoriados e os agentes registraram 25 focos do mosquito.

São 28 agentes comunitários e quatro agentes de endemias envolvidos no trabalho preventivo. A intenção é evitar que a cidade enfrente uma epidemia da doença neste período de chuvas e calor, época propícia para a proliferação do mosquito transmissor.

Outra medida de prevenção é a disponibilização do Disk Denúncia para relatar sobre terrenos sujos, com mato alto e acúmulo de lixo e entulho. O serviço funciona por meio do whatsapp (67) 99284 2904 e também vale para denunciar locais com presença de animais peçonhentos, como cobras, aranhas e escorpiões.

“Os servidores estão com empenho máximo nessa estratégia, prova disso é o índice de domicílios fiscalizados em um dia só. Porém, a população tem que fazer a parte dela e eliminar os focos. Não pode ter água parada em casa de jeito nenhum. Em uma tampinha de garrafa com água, o mosquito já consegue se desenvolver”, alertou a secretária municipal de Saúde, Letícia Sanches.

Cb image default
Quintais domiciliares são as áreas mais problemáticas. Foto: Secretaria Municipal de Saúde

Dengue em números

Vale destacar que o aedes-aegypti é o mesmo mosquito transmissor da Chikungunya e Zika. Assim como a dengue, as doenças podem matar. Neste ano, Batayporã contabiliza quatro casos prováveis da doença até o momento. Destes, dois estão confirmados.

Em 2020, foram 73 casos notificados de dengue e outros dois casos notificados de chikungunya. Em Mato Grosso do Sul, os números chegaram 52.714 registros no mesmo período. Até 3 de março de 2021, o Estado já contabilizou 3.567 casos prováveis.

Batayporã ocupa a 43ª posição no ranking de municípios com as quatro notificações da doença. O ranking presente no boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MS) é proporcional à população de cada cidade. Nova Andradina ocupa a 60ª posição com o mesmo número.