08/12/2022 às 09:25, Atualizado em 08/12/2022 às 09:39

Mutirão da dengue: agentes de saúde e de endemias intensificam vistorias em Batayporã

Fiscalização aponta que o maior problema ainda está nos quintais das residências, com focos do mosquito transmissor em calhas, caixas d’água e vasilhas para alimentação dos animais

Cb image default
Larvas são recolhidas para análise em laboratório. Foto: Maicon Araújo.
Cb image default
Agentes se mobilizam em mutirão por toda a cidade. Foto: Maicon Araújo.

Desde o início da semana, a Secretaria Municipal de Saúde de Batayporã intensifica a fiscalização em domicílios e comércios por meio dos agentes comunitários de saúde e de combate às endemias. As equipes buscam por focos do aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. Os servidores têm percorrido quintais e terrenos baldios promovendo vistorias, orientações e notificações.

Na última quarta-feira (07), a Vigilância Entomológica encaminhou ao Laboratório Municipal amostras de larvas de mosquito recolhidas em diversas localidades. “Podemos dizer que 99% das amostras deram positivo para o mosquito aedes aegypti”, afirmou o coordenador George Joaquim. A larva é o segundo estágio de vida do inseto, seguido pela pupa. Em mais ou menos cinco dias, ela já se torna mosquito, pronto para picar e transmitir o vírus da dengue.

Cb image default
Quintal em dia: mesmo com o terreno regular, moradora recebe orientações preventivas. Foto: Maicon Araújo.
Cb image default
Material ilustrativo ajuda durante trabalho de conscientização. Foto: Maicon Araújo.

Ainda de acordo com a Vigilância Entomológica, todos os bairros da cidade tem registrado focos. A maior incidência está concentrada no centro, na região da Vila Santo Antônio. “Vale ressaltar que não estamos fiscalizando apenas terrenos, mas as residências também. Infelizmente, estamos encontrando muitos focos em calhas, vasilhas d’água dos animais domésticos e vasos de plantas”, complementou o coordenador.

Nesse tipo de ocorrência, os moradores e proprietários são notificados formalmente. Se não promoverem a limpeza e eliminarem os focos no período recomendado, as equipes seguem com a aplicação de multa. “Nosso objetivo é promover o controle. Ninguém quer prejudicar nenhum morador, por isso damos a chance para a pessoa se adequar primeiro. Nossa preocupação é conscientizar”, finalizou o profissional.

Boletim epidemiológico

Cb image default
Maior parte das amostras tem sido positiva para mosquito da dengue. Foto: Maicon Araújo.
Cb image default
Notificação estipula prazo para regularização. Sem resposta, equipes podem aplicar multas. Foto: Maicon Araújo.

Conforme aponta o boletim epidemiológico da dengue da Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul (SES/MS), até o dia 30 de novembro, Batayporã contabilizava 49 casos prováveis da doença, o que elenca a cidade na 52ª posição no ranking dos 79 municípios. O cálculo é proporcional ao número de casos e à população de cada localidade. No momento, o número classifica Batayporã com bandeira vermelha, ou seja, alta incidência de dengue.

A secretária municipal de Saúde, Letícia Sanches, enfatizou ações recentes, como as campanhas de conscientização, vistorias e as parcerias com a Secretaria Municipal de Obras, Desenvolvimento Econômico, Turismo e Meio Ambiente (Sodeta) em mutirões de limpeza.

“É muito triste perceber que boa parte do perigo está dentro das casas. Ao contrário do que a maioria pensa, muitos quintais estão mais problemáticos do que os terrenos baldios. Por isso nossas equipes estão se empenhando na cobertura de todas as áreas, mas precisamos do apoio de todos: não podemos deixar água parada e também devemos denunciar locais com focos do mosquito”, disse a gestora.

A população pode denunciar focos do mosquito da dengue à Vigilância Entomológica por meio dos telefones 67 3443 3187 e 99213 6498.