07/06/2022 às 09:29, Atualizado em 07/06/2022 às 10:15

Programa Votorantim pela Infância e Adolescência faz 1ª Visita Técnica e acompanha ações do CMDCA de Batayporã

Cb image default
Especialistas do VIA explicaram ações e ferramentas para fortalecer Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente. Foto: Maicon Araújo.

O Programa Votorantim pela Infância e Adolescência (VIA) realizou rececntemente o acompanhamento das ações desempenhadas em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social de Batayporã e Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA). A especialista da QCP Consultora, parceira técnica do programa VIA, Rubia Muttini esteve com a equipe local para promover capacitação e esclarecer questões relacionadas à institucionalidade, gestão de projetos, gestão financeira, e proteção social, dentre outros temas, por meio do instrumento chamado Régua de Maturidade (RM).

Conforme explicou a especialista, o objetivo do VIA Fortalecimento é apoiar o CMDCA e proporcionar recursos e estratégias que auxiliem na promoção dos direitos das crianças e dos adolescentes. Além do trabalho desenvolvido com o conselho, a parceria com o Serviço Social de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) irá ofertar o projeto ‘Transformando o Presente e Projetando o Futuro Jovem’, com oficinas de Fotojornalismo, Empreendedorismo Juvenil, Cinema e família para a Comunidade e Workshop Social. A iniciativa é financiada pelo VIA Gestão pela Campanha VIA Solidária.

O programa atende aos municípios onde a Votorantim está presente. Em Batayporã, a empresa Auren Energia, que integra o grupo, operacionaliza a Usina Hidrelétrica Sérgio Motta, conhecida pela antiga Companhia Energética de São Paulo (Cesp). O mesmo acontece com o município vizinho, Rosana (SP). Em 2022, apenas 13 localidades recebem o VIA. De acordo com Rubia, mais duas visitas a Batayporã estão programadas, mas o fortalecimento do grupo de trabalho também acontece a distância. 

Cb image default
Grupo de trabalho será acompanhado com intervenções presenciais e a distância. Foto: Maicon Araújo.

“Em resumo, podemos dizer que o VIA se dá por duas modalidades: o fortalecimento do CMDCA e a gestão do projeto social escolhido pelo conselho para receber recursos do Fundo Municipal para Atendimento dos Direitos da Criança e do Adolescente”, complementou Rubia.

Para a presidente do CMDCA, Marilza de Souza Breguedo, o programa representa uma força a mais para a promoção de políticas públicas voltadas ao público infanto-juvenil. “Com certeza é um recurso a mais para desenvolver o trabalho em prol dos munícipes. Afinal, o nosso objetivo é esse mesmo, sempre trabalhar em prol da criança e do adolescente. O Via tem uma proposta para os próximos cinco anos e esperamos que essa parceria se fortaleça”, analisou a presidente.