01/06/2020 às 12:20, Atualizado em 23/11/2020 às 10:22

Coordenadoria Especial da Mulher se mobiliza para combater feminicídio em Batayporã

Cb image default
Foto: Aline Leão/Assessoria PMB

1º de junho é o Dia Estadual de Combate ao Feminicídio e a Prefeitura de Batayporã, por meio da Coordenadoria Especial da Mulher (CEMU) em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social, se mobiliza para chamar a atenção da população ao grave problema das violências cometidas contra a mulher. Uma lei estadual instituiu o “Dia de Combate ao Feminicídio” em Mato Grosso do Sul e também regulamentou a “Semana Estadual de Combate ao Feminicídio”.

Nesta semana que compreende a data, serão realizadas ações de mobilização para discutir o feminicídio. De forma diferenciada em razão do contexto em face à pandemia do coronavírus, as atividades ocorrerão por meio das redes sociais e meios de comunicação local para reforçar a importância da campanha.

A campanha estadual busca ainda divulgar os serviços e os mecanismos legais de proteção à mulher. O Governo do Estado, preocupado com o aumento da violência doméstica, em decorrência do isolamento social, criou o site www.naosecale.ms.gov.br que traz todas as informações sobre como denunciar. Além disso, disponibiliza o canal para recebimento de denúncias a Delegacia Virtual: www.devir.pc.ms.gov.br/denuncia, bem como o número 180.

A titular da Coordenadoria Especial da Mulher, Célia Amaral, destaca que além de orientar, o ato também objetiva divulgar a rede de atendimento e proteção para as mulheres. “Queremos que as mulheres se sintam fortalecidas e tenham coragem de fazer a denúncia, para que não fiquem vivendo uma situação de violência dentro de casa”, explicou.

Célia frisou que a campanha é a culminância de uma série de ações já executadas ao longo do ano, em diversos espaços e com diferentes públicos. “O combate à violência contra a mulher exige ações integradas em diversos níveis, áreas e instâncias, pois trata-se de um problema complexo, que não se resolverá de forma simplista. Como problema público, exige a implementação de políticas públicas devidamente apoiadas pela sociedade”, ressaltou.

Durante participação na transmissão ao vivo pelas redes sociais da Prefeitura de Batayporã, nesta segunda-feira (1º), o delegado de Polícia Civil, Felipe Davanço Mendonça, afirmou que ao longo de 2019 a cada semana 2,3 casos de violência doméstica eram registrados no município, ou seja, a cada dois dias uma mulher era agredida fisicamente ou psicologicamente.

“Os dados estatísticos desse ano apontam que houve uma redução para 1,6 casos a cada semana. Nesses cinco primeiros meses do ano tivemos 40 casos de violência doméstica em Batayporã. Ainda é um índice alto, entretanto devemos ponderar que houve uma redução e isso tudo se deve ao trabalho conjunto de atuação com a Coordenadoria Especial da Mulher e secretarias municipais de Assistência Social e de Saúde”, frisou o Delegado.

Dr. Felipe destacou ainda que a Polícia Civil atua conjuntamente com o Ministério Público e Poder Judiciário de modo que o agressor no primeiro descumprimento de medida protetiva possibilita a prisão do mesmo.

Para denunciar – Em Batayporã, as denúncias podem ser realizadas por meio do 190 - Polícia Militar ou pelo (67) 3443-1268 – Polícia Civil. Para mais informações de como proceder em casos de violência, a equipe do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) está à disposição ou pode entrar em contato pelo telefone (67) 3443-2728.

A data – A data escolhida foi o dia 1º de junho, devido o primeiro feminicídio registrado em Mato Grosso do Sul, a morte da jovem Isis Caroline da Silva Santos, aos 21 anos.